Untitled Document
. Tenha uma boa noite! • Patrocínio - MG, 28 de julho de 2015 - 23:35
Untitled Document
 

SOCIEDADE ESPÍRITA CASA DO CAMINHO – 53 ANOS DE TRABALHO NA SEARA DE JESUS A história humana é um suceder de fatos, fazendo com que o progresso ocorra algumas vezes de forma agradável, outras vezes não. O tempo é sempre vivido e nunca volta, a não ser na memória. Quando nossa memória recua no tempo, resgata lembranças e sentimentos que, de uma forma ou outra, marcaram nossas vidas. Nossa cultura estabeleceu uma forma de aferir os fatos, dividindo-os no tempo. Em cada ano registramos os acontecimentos e os contextualizamos cronologicamente, contabilizando-os em alegrias ou tristezas, frustrações ou realizações, medos ou esperanças. Nessa contextualização cronológica, rememoramos datas importantes para nós, fruto das consequências individuais ou coletivas advindas dos acontecimentos. Nesse artigo, rememoramos um fato iniciado no ano de 1.962 que, decorridos 50 anos, perdura física e ideologicamente, gerando efeitos bons e de grande alcance social. No dia 02 de janeiro de 1962, reuniram-se pessoas, com um firme propósito humanitário: ajudar o semelhante. O ano estava se iniciando, era o primeiro dia depois do feriado de Ano Novo e, também, o último dia “útil” da semana, ou seja, uma sexta-feira. Nessas circunstâncias, a maioria das pessoas deixaria para a segunda-feira qualquer iniciativa, mas para abnegados servidores, inspirados em Cristo, era diferente: em vez de descanso, eles optaram pelo trabalho no bem. Com esse sentimento e vontade, nesta data, ou seja, 02 de janeiro de 1.962, era criada a Sociedade Espírita Casa do Caminho, um entidade civil, sem fins lucrativos, de caráter beneficente, cujo propósito era o exercício da caridade cristã e a prática dos princípios espíritas. Foram seus fundadores os senhores: José Pereira Brasil, Hélio Furtado de Oliveira, Felício José Feres Mubarack, Donato Fernandes Rosa, José Araújo, Roberto Leão, José Matias de Souza, Antônio Ulhôa Sant’ana, Joaquim Resende Pena, Odetes Amaral, Luiz Rodrigues da Fonseca, José Dionísio de Resende, Rubens Carlos da Silva, Florêncio Peres, Himer Alves Dias, José Constantino de Oliveira, Gaspar Balbino de Freitas, Veridiano Valadares, Ubaldino Silva; Messias Teixeira de Souza, Osvaldo Dantes dos Reis e as senhoras: Iolanda Beaumond Brasil,Vani Furtado Salomão, Venina Tavares Amaral, Missilena Oliveira Mubarack, Carmem Carvalho de Resende, Maria Afonso da Silva, Maria Carvalho RosaEny Maciel Resende, Benícia Peres, Íris Cunha, Margarida Ribeiro, Conceição Rocha Machado, Venina Alves dos Santos. Intentavam essas pessoas edificar um abrigo para as pessoas idosas, desvalidas, oferecendo a elas assistência humana, espiritual, amparo e cuidados. Desde o ano de 1.959 as pessoas fundadoras da “Casa do Caminho”, já vinham prestando serviços de assistência social às pessoas necessitadas, distribuindo alimentos arrecadados na “Campanha do Quilo”. Essa atividade veio, então, a ser realizada pela “Casa do Caminho”, que passou a atender a várias famílias. A campanha do quilo mobilizava diversas pessoas, que saiam à rua para arrecadar alimentos. Uma vez por semana, aos domingos, de porta em porta pediam as doações e entregavam mensagens impressas, com temas alusivos à caridade e ao amor pelo semelhante. Essas doações eram agrupadas em cestas e distribuídas para as pessoas necessitadas, atendidas com carinho e respeito. O ideário mantinha-se vivo nas pessoas da “Casa do Caminho”. A necessidade era adquirir um terreno para a construção. Reuniões várias fizeram em busca de se encontrar uma forma para arrecadar os recursos para a aquisição do terreno. Com muito esforço e dedicação conseguiram. Em 1.963, um ano depois da criação da “Casa do Caminho, compraram um terreno de mais ou menos 900 metros quadrados, pela quantia de Cr$ 150.000,00 (cento e cinqüenta mil cruzeiros), que na época era um valor considerável e foi conseguido por meio de doações recebidas, devidamente registradas em ata da diretoria à época. No ano de 1.964, foi ampliado o trabalho de assistência social. Começou a ser oferecida, semanalmente, a sopa fraterna, distribuída aos sábados. Crianças, adultos, idosos recebiam a sopa preparada com muito carinho, temperada com amor e ingredientes saudáveis. Essa sopa era confeccionada nas dependências do Centro Espírita Ensinamentos de Jesus, que gentilmente cedia suas instalações para essa realização, dando mostras do trabalho unificado em prol das pessoas. Essa sopa fraterna foi chamada de “Sopa Fraterna Chico Xavier” Em 1.966, no dia 03 de junho, foram iniciados os trabalhos para a construção do imóvel. Contava a “Casa do Caminho com Cr$ 867.000,00 (oitocentos e sessenta e sete mil cruzeiros), conseguidos por meio de doações diversas ao longo dos 3 anos de existência. Esse valor foi suficiente para iniciar a construção e concluir uma pequena parte dela. Em 02 de setembro de 1.968, dois anos após o início da construção, foi realizada a primeira reunião no imóvel parcialmente construído. A sopa fraterna “Chico Xavier” passou a ser oferecida na sede da “Casa do Caminho”, bem como a distribuição de alimentos advindos da “Campanha do Quilo”. O movimento de pessoas e os trabalhos de cuidado humano deram vida à “Casa do Caminho”. Semanalmente eram realizadas essas atividades e a elas eram somados momentos de reflexão, através de leituras e explanações de temas dos evangelhos e do ideário espírita. As dificuldades econômicas para concretização da obra foram grandes. Malgrado os esforços e o empenho de muitas pessoas, não foi possível concluí-la no tempo e na forma idealizados quando da criação da “Casa do Caminho”. Mudou-se o projeto, diminuindo o tamanho da obra, mas não o ânimo dos colaboradores. O objetivo primeiro, mas não único, teve que ser alterado. Em vez de se construir o abrigo para permanência das pessoas, optou-se em ampliar o atendimento transitório, por meio da distribuição de alimentos, sopa fraterna, enxovais para gestantes carentes, agasalhos, cobertores e outros gêneros de auxílio humanitário e espiritual. Entre os anos de 1973 e 1974 foi realizada mais uma parte da construção, melhorando as condições de atendimento às pessoas. Em 1990 foi concluída a construção idealizada ha 28 anos antes. Depois, no decorrer dos anos de 2001 a 2003, foi feita uma ampla reforma, adaptando as instalações para novos atendimentos voltados para a evangelização das crianças e jovens, dotando as salas com os recursos físicos e didáticos necessários a esse trabalho. A cozinha, onde se confecciona a sopa, foi reconstruída e ampliada, equipando-a com utensílios que deram incremento à “Sopa Fraterna Chico Xavier”. Mantendo o espírito de serviço ao semelhante, a “Casa do Caminho” melhorou ainda mais suas instalações e estrutura física. Entre os anos 2009 e 2011 novas reformas e ampliações foram procedidas, visando a segurança e a comodidade das pessoas que participam das atividades ou delas se beneficiam. Protegidas das intempéries, em uma área coberta e ventilada, as pessoas são recebidas para os estudos doutrinários, evangelização, sopa fraterna, bazares beneficentes, recepção de alimentos, cestas, entre outras atividades. Os 900 metros quadrados adquiridos em 1.963, são, hoje, completamente utilizados e bem aproveitados para os trabalhos diversos realizados pela “Casa do Caminho”. A “Casa do Caminho”, 50 anos depois de sua fundação, está inserida na comunidade patrocinense, promovendo atividades doutrinárias, de promoção social e cultural. Anualmente realiza as “Semanas Espíritas” e o “Chá Fraterno”, momentos de congraçamento e de divulgação da cultura espírita. São dois eventos já tradicionais e que recebem grande número de pessoas espíritas e não espíritas de Patrocínio e Região. Citar todos os nomes dos colaboradores que já passaram pela a “Casa do Caminho” e os que nela ainda estão é quase impossível, dado ao elevado número. A título de registro citamos os nomes das pessoas que presidiram a “Casa do Caminho”, representando muitas outras pessoas de grande valor, que deram sua contribuição para os bons trabalhos realizados, desenvolvendo encargos, independentemente de cargos. Presidiram a “Casa do Caminho”: José Pereira Brasil (1962 a 1964); Joaquim Resende Pena (1965 e 1966); Hélio Furtado de Oliveira (1967 a 1971 e 1973 a 1981); Gaspar Balbino de Freitas (1982 a 1998), tendo o vice-presidente Anselmo Cantarino Filho assumido interinamente em várias ocasiões nesse período; Simão Pedro de Lima (1999 a 2002 e 2009 a 2010); Leonardo Tomé Canto (2003 a 2004); Iracema Tiago de Castro Fonseca (2005 a 2006); Aguinaldo José de Lima (2007); Marisa Borges (2008) e Humberto Pedro Casagrande (atual presidente). Temos muito a agradecer. Em primeiro lugar, a Deus pelo amparo e bênçãos recebidos. Nossos agradecimentos também aos incontáveis colaboradores que nesses 50 anos prestaram o seu concurso junto à “Casa do Caminho”, sempre em caráter voluntário e com muita disposição. À comunidade patrocinense agradecemos com muita alegria, pelo apoio dado à “Casa do Caminho”, fazendo doações para o bazar fraterno, alimentos para as cestas básicas e para a sopa e pela participação nas atividades por nós promovidas. Parabéns à Sociedade Espírita Casa do Caminho pelos seus 50 anos de existência, sempre fiel a Jesus e aos postulados espíritas. Texto escrito por Simão Pedro de Lima (atual Presidente da Casa do Caminho | Gestão 2015/2016) na ocasião dos 50 anos da Casa do Caminho). - https://blogamigosdocaminho.wordpress.com/